Quanto as plataformas ganham com o seu investimento em ações?

Quanto as plataformas ganham com o seu investimento em ações?

Nos últimos anos, a modernização dos sistemas de negociação da Bolsa de Valores, com a adoção do “Home Broker”, e o aumento da concorrência entre as corretoras derrubaram o valor da taxa de corretagem para compra ou venda de ações, opções e outros produtos de renda variável. Não é difícil achar plataformas oferecendo custo zero para negociar na Bolsa. Mas cuidado com ofertas à primeira vista muito atrativas.

Até pouco tempo atrás, todas as corretoras cobravam a corretagem de ações de acordo com a “Tabela B3”. Com a popularização do sistema de negociação eletrônico, o chamado “Home Broker”, as corretoras passaram a cobrar uma taxa de corretagem fixa por operação no modelo de “autoatendimento”, aquele quando o próprio investidor realiza suas operações no Home Broker.

A cobrança com base na Tabela B3 (veja abaixo) é aplicada somente quando o cliente utiliza a mesa de operações, ou seja, quando conta com a ajuda de um profissional especializado para fechar uma transação de renda variável.

Até poucos anos atrás, a corretagem para compra e venda de ações na Bolsa girava em torno de R$ 20 por operação. Com o aumento da concorrência, esse valor foi caindo para R$ 10, R$ 8, R$ 5…. A sim;paul cobra R$ 4,90 por operação (a esse valor somam-se os impostos de ISS, PIS e Cofins – veja aqui)

“Ah! Mas eu vi que tem corretora que oferece taxa zero”, você pode pensar. Será mesmo? Será que a plataforma que anuncia taxa zero de corretagem não está mesmo ganhando nada, nadinha?

O que algumas corretoras fazem nada mais é do que utilizar uma tática há muito consagrada no varejo, especialmente em supermercados. Os mercados costumam fazer promoções em que alguns produtos são vendidos pelo preço de custo ou até mesmo um pouco abaixo disso. E por que vale a pena o supermercado fazer isso? Porque quem compra o pacote de 5 kg de arroz acaba levando também o óleo de soja ou o feijão, que estão um pouco mais caros do que o preço oferecido na concorrência.

Há plataformas que oferecem taxa zero apenas no mercado de ações à vista e somente se você aderir a outro serviço (e nesse outro serviço, na maior parte das vezes, o ganho da corretora está “escondido”). Para outros produtos, como opções e contratos futuros, há cobrança de corretagem.

Há ainda corretoras que oferecem “pacotes” de corretagem, que incluem centenas de operações no mês por um preço fechado. Antes de aceitar esse tipo de “pacote”, reflita se você realmente vai fazer tantas operações no mês. Lembre-se daquele pacote da televisão a cabo, com centenas de canais, mas que você só assiste a meia dúzia deles.

Além disso, realizar centenas de operações na bolsa em um mês pode não ser bom para os seus investimentos, a menos que você seja um profissional do mercado. É preciso, por exemplo, ficar atento à cobrança de Imposto de Renda que incide sobre as operações de renda variável.

Desconfie de plataformas que estimulam você a operar muito na Bolsa. Pesquisas mostram que a maioria das pessoas comuns – que não possuem formação específica voltada para o mercado financeiro – perdem mais dinheiro do que ganham em negociações frenéticas diárias na Bolsa.

Fique atento também às plataformas que oferecem limite extra de crédito para você realizar operações de compra e venda no mesmo dia, o chamado “daytrade”. É comum você ter, por exemplo, apenas R$ 10 mil investidos, mas a plataforma permitir que você “opere alavancado”, comprando ações, opções, contratos futuros que somem até 10 vezes esse valor, ou seja, R$ 100 mil.

Normalmente, você precisa liquidar essas negociações até meia hora antes de fechar o pregão. Caso contrário, a plataforma fará isso por você. E, claro, será cobrada uma taxa por esse “serviço” porque era obrigação sua encerrar as posições. Ou seja, a corretagem já não será mais zero.

Há situações ainda mais complicadas. Lembra que você ganhou um “cheque especial” de R$ 100 mil, mas só tinha R$ 10 mil na conta? Já pensou se você errar a mão naquele dia e perder R$ 12 mil? A plataforma vai pegar aqueles R$ 10 mil que você tinha guardado lá e ainda vai cobrar juros sobre o saldo devedor de R$ 2 mil até você pagar a dívida.

Portanto, a corretagem zero, por si só, não tem pegadinha. O problema é que muitas vezes essa “vantagem” vem acompanhada de pacotes “tentadores”, mas que podem levar você a cometer erros, o que vai custar caro para seus investimentos.

Será que o atendimento daquela plataforma que não cobra nada é bom? E se você fizer besteira, alguém vai te socorrer? Será que a plataforma está apoiando o crescimento dos seus investimentos? Ou só quer ver você negociar freneticamente para gerar receita para a plataforma?

Fique atento aos conflitos de interesse. Desconfie de ofertas “fantásticas” e exija transparência!

Quer receber o resumo das notícias que impactam seus investimentos?
Se inscreva aqui!